Katúcia e a Plantinha

Katúcia pegou e levou sua plantinha adoentada ao médico, mas voltou pra casa desolada, e resmungando muito. Até que sua tia Geraldina perguntou: “Por que está reclamando, Katúcia, feito um burro sem pasto?” Ela irritada responde: “Olha, tia, fiquei desde seis da manhã naquele bendito hospital aguardando atendimento para minha plantinha”. Se demonstrando muito brava, ela continua, “E imagine tia, quando chegou a minha vez, descobri que não iria ser atendida, e sabe por quê? Só tinha médico de plantão! Vê se pode? A saúde pública viu, vou te contar hem!”

Poesias & Crônicas de Márcio Nato