Camila e Manfroi

Enquanto isso em algum lugar da Cidade de Curitiba...

Dois amigos se encontram numa praça, de um bairro, na cidade da Capital paranaense. Camila é uma moça bonita, culta, muito educada, traja calça jeans, camisa vermelha, usa óculos e também um prendedor no cabelo. Já o seu amigo, Manfroi, é magricelo e não demonstra qualquer interesse pela realidade que o envolve. Ele usa um bermudão e está de camiseta, mascando chiclete, brincando com ioiô, não tá nem aí. Ambos estão sentados em banquinho da praça.

Camila lê um jornal e ver as notícias que estão em evidências, ela avalia todo o conteúdo que o jornal tem a oferecer.  Então, por um momento, ela abaixa o jornal da frente de seu rosto e começa um dialogo com seu amigo: “Manfroi...” diz ela. Já ele, por sua vez, bem relaxado apenas levanta uma das sobrancelhas e sem olhar responde: “sim”. Então ela continua: “Você sabe que este ano é ano de eleição, certo”?

Manfroi, ainda, sem se dá o trabalho de olhar para Camila apenas responde: “Sim, ‘Claque’ sim”. A moça querendo puxar conversa e envolver o desinteressado no assunto  pertinente e que pode agregar valor a sua existência, continua com os questionamentos: “E você já sabe em quem votar”?

Perseverando em não demonstrar qualquer emoção pelo assunto, ele apenas monossilabicamente responde: “Sim, ‘Claque’ sim”.

Tentando de todas as formas saber informações sobre as aptidões politicas de Manfroi, ela dispara mais uma pergunta: “E como você decidiu e avaliou que o candidato merece o seu voto”?

Finalmente, ela, consegue mexer com o rapaz. Ele olha para o alto, coloca uma das mãos no queixo e com a outra continua a jogar o ioiô e a mascar o chiclete. Ele dá um sorriso, olha para Camila e diz: “Olha, o time de futebol de meu bairro não trocava de uniformes já há quatro anos, ou seja, desde a última eleição. Então, agora estamos com tudo novo até o gramado e as balizas do campo foram renovadas”!

Camila se espanta. E com indignação pergunta: “É Por isso que você vai votar nesse candidato”?

 Manfroi, sorridente, se achando a mente mais brilhante da face da terra responde: “‘Claque’ sim, como não votar num cidadão que quer o bem para a comunidade”?

Camila indignada, com a resposta do amigo, diz: “Ai, ai é por isso que a vaca vai pro brejo”...

Manfroi, sinalizando com o dedo indicador dispara a perola: “Não, não, Camila, a Prefeitura  acabou de asfaltar o bairro inteiro. Então, a vaca não tem mais como cair no brejo. Ok?”.

Camila bate a mão no rosto, sacode a cabeça para os lados e apenas suspira: “Aff!”.


Poesias & Crônicas de Márcio Nato