Hoje, 14 de Dezembro, dia nacional do Ministério Público e em sua comemoração a instituição pode ganhar um presente de grego.


Atenção! Querem calar o Ministério Público (MP)!

Caso seja aprovada a PEC 37 adeus as investigações do MP que dissolvem muitas das quadrilhas que ficam mamando da teta da vaca pública, teta esta que o leite nunca seca e de uma vaca que tem uns bezerros que nunca crescem.

O projeto de lei acaba definitivamente com a independência, autonomia e o direito livre da instituição investigar, averiguar os casos de corrupção que existem nos porões e sótãos de alguma casa pública de aparência clara, mas que escondem cores escuras em seu interior. Caso a lei existisse, há alguns anos atrás, talvez, nunca teríamos conhecimento sobre os altos valores em dinheiros desviados na Assembléia Legislativa do Paraná, em Curitiba. O caso ficou conhecido nacionalmente como “Diários Secretos”. Certamente também, se não fosse à atuação eficaz do MP, jamais saberíamos sobre os erros de conduta quanto à administração do dinheiro público do ex-presidente da Câmara dos Vereadores João Claudio Derosso.

O MP investiga não só os possíveis atos de corrupção existentes nas entranhas do poder público. Há também investigações sobre casos de: Estelionato e outros crimes. Mas, caso a PEC 37 seja aprovada, o MP perderá os poderes de investigação e muitos dos casos ficaram sem conclusão, os muitos crimes de corrupção ficaram no anonimato.

Faço uma pergunta: A quem mais interessa tirar esse poder do Ministério Público? Claro você, que lê essas linhas, já sabe os beneficiados com essa medida.

Povo brasileiro precisamos nos mobilizar e não permitir que esse projeto seja aprovado, pois aos únicos que interessam que o MP seja amordaçado são os que fazem parte da rede corrupção que contaminam, envergonham a política nacional e matam as crianças, torturam idosos e o trabalhadores doentes nas filas dos hospitais, desviando as verbas que seriam para termos um serviço de saúde e educacional melhor.


Poesias & Crônicas de Márcio Nato