A música brasileira segue perdendo qualidade


Mais uma bela voz se despede...

A qualidade musical, os bons cantores e interpretes, de nosso País, aos poucos vão desaparecendo. Vozes afinadas, melodias e letras bem trabalhadas, são conteúdos que quase não se vêem mais na fonografia brasileira.
Poucos são os artistas que ainda conseguem unir e produzir esses elementos. Aos poucos a nossa música brasileira vai perdendo os que fizeram dela boa e de qualidade.
Infelizmente, morreu na manhã de hoje, quarta-feira (20), no Hospital Samaritano, em Botafogo, Zona Sul do Rio de Janeiro, o cantor Emílio Santiago.

O cantor, de 66 anos, estava internado desde o último dia 07 de março, quando sofreu um acidente vascular cerebral (AVC).

De acordo com informações da assessoria de imprensa do hospital, Emílio morreu por volta das 6h30 em função de complicações decorrentes do AVC.  Santiago permaneceu 13 dias internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI), do hospital.

Considerado um ícone da musica popular brasileira, ele foi vencedor de diversos festivais. Começou a carreira nos anos 70 e, desde o início, sempre foi apreciado e elogiado pela crítica por ser dono de uma voz grave, mas ao mesmo tempo suave.

Emilio Santiago gravou músicas que se tornaram tremendo sucesso como: "Lembra de mim", "Verdade chinesa" e a inesquecível “Saygon”. Em 2012, o cantor gravou o último álbum da carreira, granado ao vivo, o disco intitulado: “Só danço samba” foi lançado junto com um DVD.

Por toda a carreira fonográfica é registrado ao todo um total de 30 álbuns e quatro DVDs.

O velório do cantor será realizado no Memorial do Carmo, no Caju, na Região Portuária do Rio.

Lamentável, irreparável perda.


Poesias & Crônicas de Márcio Nato