Minha vida, razão de viver, minha mãe

Mãe...

Meu saudoso tio, João Evangelista, eu ,
minha linda e bela mãe e o já falecido - cachorro
Colly.
Hoje, sou um adulto. Mas sempre quando me lembro de você, tenho certeza que penso e tenho atitudes de um bebê. Se é que bebês pensam...

O que eu sei, minha querida mãezinha do meu coração, é que embora eu já esteja amadurecido e, muitas das vezes, cheio de problemas e atribulações e muitos dilemas – perante os teus olhos, minha rainha, eu sempre serei aquele menino chorão e boca aberta.

Por mais que eu tente crescer e ainda que o tempo queira me envelhecer e na minha cabeça cabelos brancos, no meu rosto rugas aparecer, minha doce mamãe, para ti eu serei continuamente um neném birrento e manhoso.

Ainda que adquira todas as faculdades mentais existente no globo e saiba executar os mais árduos e difíceis trabalhos ou tarefas. Perto de você minha amada, tenho plena certeza que sucessivamente me faltará sabedoria.

Minha linda mamãe descansando na sombra.
Ainda que eu possuísse a fé de poder transportar os montes de um lugar para o outro, na sua presença – minha doce mamãe – a minha fé seria como um grão de mostarda.

Mesmo que eu falasse os idiomas e dialeto de todas as tribos e nações, e pudesse ter capacidade de compreender e argumentar no linguajar dos anjos, sem o teu amor minha flor eu não existiria.

Mãe. Nunca esqueço aqueles dias de inverno em que a senhora se levantava nas noites frias por que eu chorava. A senhora vinha carinhosamente até o meu quarto, e cobria-me com os tapetinhos de retalho que, com diligencia e cuidado, a senhora elaborava para cada um de seus filhos – o meu, mamãe, ainda me lembro bem, era com tiras pretas e brancas lembrando as cores do meu time, Botafogo.

Estou com saudade de você minha querida mãe. Nem sei mais quantos são os anos que não passo mais agarradinho do teu lado esse dia, que os homens classificaram como sendo das mães. Pois, em meu coração, o teu dia é com todo nascer do sol.

Lindíssima mamãe envergonhando o brilho do sol.
Já perdi a conta, quantas festas de aniversário teus eu faltei. Se eu pudesse, rainha da minha vida, eu estaria aí bem juntinho de você agora, nesse momento.

Se eu tivesse o domínio de controlar e determinar o futuro, eu nunca teria saído de perto de ti. Mas a vida me enviou para longe fisicamente, mas em amor e em sentimento estarei sempre aí grudadinho em teu coração mamãe querida.

Lembra mamãe daquele jardim que um dia eu e a senhora fizemos em nosso quintal? Nele havia todos os tipos de flores e até rosas, mas nenhuma daquelas flores ou das rosas era tão bela quanto você. Nenhuma delas possuía a capacidade de exalar, de maneira correta, o aroma do teu perfume ou o cheiro agradável dos teus cabelos.

O assanhado do tal Monza tubarão. Se liga hem!
Ô seu "Tutu"
O meu "Tutu", Monza Tubarão, se sentiu o maior peixão, uma limusine, quando teve o prazer de tê-la viajando dentro dele. Mãe, esse carro ficou dias me enchendo a cabeça. Ele ficou todo feliz e orgulhoso, só porque passeou com a senhora. Vê se pode? Me torrou os poucos neurônios que me restam. Acho que ele queria me fazer ciúmes. Todo dia o danado me perguntava:__ E aí Nato, quando é que vou ter a satisfação de transportar, em meus bancos macios e confortáveis, aquela senhora gentil e elegante outra vez?

Vê que carro mais atrevido e atirado mãe?

Mamãezinha, o maior dom de Deus é a vida que ele concede a cada ser humano. Mas mãe, o maior presente da minha existência foi Deus ter me dado você para ser a minha matriarca e ter cuidado de mim. Por isso que, todos os dias, faça chuva ou faça sol, eu O agradeço pela benevolência infinda de ter-me presenteado com um alguém tão maravilhoso, especial e sublime quanto você mãe.

Eu posso não ser, e certamente não sou, o melhor filho do mundo. Mas eu tenho plenas convicções e certeza que, eu tenho a melhor mãe que o mundo já conheceu. 

Eu te amo mamãe, minha mãe, mamãezinha... Eu dou a minha vida por você! Sem hesitar e pensar, pois, se tenho vida é porque você doou parte da sua vida, para cuidar de uma frágil vida igual era a minha.

Sei, e acredito piamente, que o amor Deus de pela humanidade é comparado a um amor verdadeiro de uma mãe por seu filho. Pois, nenhum ser humano pode amar o outro assim, se amor não se originar diretamente do coração maternal de Deus.  Acho que é por isso que os filhos obedientes compreendem o valor real e impar deste ser humano fantástico que chamamos de mãe.
Mayara minha prima, minha bela mama, eu e o já saudoso
cachorrinho Tupã - 1994.

Você é a minha razão de viver, motivo de eu ainda lutar. Todas às minhas conquistas e vitórias são por ti, mãe. Tudo o que sou e tudo que um dia ainda serei, será por ti minha sagrada e incomparável mãe.

Eu vou te honrar – minha coroa bonita e charmosa – com os meus lábios, com o meu coração, com o meu espírito, com todo o fôlego de mim alma, com todas as forças da minha existência, eu sempre te honrarei e honrarei e louvarei a Deus por você ser minha.  

Quando eu nasci, nasci para que você pudesse cuidar de mim e dar o melhor de si para um bebezinho trabalhoso e chorão, mas agora eu cresci. Então, chegou à hora de nós – os seus filhos – cuidarmos e darmos o nosso melhor para ti.

Mãe querida e bondosa que às vezes era e, talvez, ainda seja constrangida a mentir. Quando? Ah! Quando ela dizia ou ainda diz para as amigas e vizinhas, “eu tenho o filho mais lindo do mundo!”.

Ô mamãe, que Deus me perdoe por fazê-la mentir assim... Mas me respondam uma coisa, qual é a mãe que acha o filho – por mais esquisito que seja – feio?

Olha, uma coisa eu posso assegurar tranquilamente e tenho a mais absoluta certeza...

 A sogra da minha futura mulher – se algum dia encontrar uma louca que queira me aturar – é muito gente fina, gente boa, da melhor qualidade!

Amo-te mãe!!!

Márcio Nato

Facebook.com/marcionato

Poesias & Crônicas de Márcio Nato