O jornalista e a psicóloga


Em uma conversa informal a psicóloga vira para o nobre jornalista, abre um belo sorriso, e pergunta:__ Mas  vocês, jornalistas, vivem de perguntas. Não é mesmo?
Ele, olha para ela, e com um sorriso no rosto, responde:__ Sim, de fato. Mas, veja bem, você há de convir comigo que nós, os jornalistas, não estamos tão solitários no mundo dos questionamentos. Vocês,  psicólogos, também não conseguiriam sobreviver sem o bom e velho ponto  de interrogação. Não é verdade?

Os amigos se abraçam e saem para tomar um café.
Poesias & Crônicas de Márcio Nato